GS Racing domina o pódio da categoria Master no Cerapió 2024

GS Racing

A temporada 2024 iniciou com o pódio do Cerapió 2024 dominado pela GS Racing. A equipe foi campeã da categoria Master com o piloto Fábio Ruediger e o navegador Michael Masson e vice com o piloto Fernando Lage e o navegador Gustavo Schmidt (Guga). Na terceira posição do ranking geral, a GS Racing ainda subiu ao pódio com o piloto José Carlos da Silva (Zé do Chapéu) e o navegador Bernardo Schafer.

A 37ª edição do Cerapió aconteceu entre os dias 23 e 27 de janeiro, começou na Praia do Cumbuco em Caucaia (CE) e passou ainda pelas cidades de Viçosa do Ceará (CE), Pedro II (PI), Timon (MA), Caxias (MA) e Teresina (PI). A competição é uma tradicional prova rally regularidade de nível nacional e, além de carros, conta com categorias de bikes, motos, quadriciclos e UTVs.

Estreia no alto do pódio

O piloto Fábio Ruediger, de Luís Eduardo Magalhães (BA), e o navegador Michael Masson, de Capinzal (SC), têm experiência de sobra no rally regularidade, mas foi no Cerapió de 2024 que os dois competiram juntos pela primeira vez. Enquanto Fábio chegava com a experiência de quem participou de 18 edições da competição e vinha defender o título de campeão (conquistado em 2023 com o navegador Luis Felipe Eckel), Michael fazia sua primeira participação na competição. “A dupla foi formada em cima da hora e faltou um pouco de entrosamento, mas conseguimos superar isso rápido, tanto que fizemos um primeiro lugar logo na primeira etapa de prova”, diz Michael.

GS Racing

Além do entrosamento, a dupla também precisou superar diversos problemas mecânicos ao longo dos quatro dias de provas. “A prova foi bem legal, mas passamos dificuldades com o carro. Um dia ficamos até as três da manhã revisando o Troller nós mesmos, andamos três etapas praticamente nos arrastando, mas com persistência conseguimos terminar”, conta Fábio.

Mesmo com um grid forte na categoria Master, a dupla formada na hora da prova conseguiu garantir o bicampeonato de Fábio e o primeiro título do Cerapió para Michael. “Foi uma experiência incrível. O Fábio é um grande piloto e gente boa demais. A prova em si é bem difícil e desafiadora, um pouco diferente do que eu estava acostumado. Fora isso ainda teve o terreno, que exigiu uma certa adaptação na navegação e na correção de metragem”, explica o navegador campeão.

Tetracampeões em segundo lugar

Apesar do ótimo resultado em um grid forte como o Cerapió, o piloto Fernando Lage, de Belo Horizonte (MG), e o navegador Gustavo Schmidt, de São José (SC), queriam mais, a dupla buscava o pentacampeonato. “Esse Cerapió começou muito mal para a gente. No primeiro dia, devido a um erro na prova, não tivemos a divulgação dos resultados da nossa categoria. No segundo dia não andamos como queríamos, mas no terceiro e quarto dia de provas fomos muito bem e ficamos perto do título. Foi um Cerapió bem diferente dos anos anteriores, com as médias mais baixas, mas os lugares que passamos no meio do sertão cearense foram muito bacanas”, diz Lage.

GS Racing

Além dos quatro títulos no currículo, a dupla coleciona vice-campeonatos. Com o resultado de 2024, Lage completa seis segundos lugares e Gustavo quarto. “Este ano a prova do Cerapió teve uma característica de menos velocidade. Foram provas relativamente mais fáceis e com médias mais baixas, o que influenciou bastante na metragem. Foi difícil me adaptar à navegação depois de tanto tempo longe das planilhas. Eu estava sem ritmo de prova e isso atrapalhou nosso início, sofri demais os dois primeiros dias, mas depois encaixei, fizemos uma recuperação fantástica e conquistamos o vice-campeonato”, explica Guga.

Vem aí o Transparaná

Após o Cerapió, a GS Racing enfrenta outro grande desafio. A 30ª edição do Transparaná acontece de 11 a 17 de fevereiro e vai atravessar o Estado em sete dias de provas. O trajeto vai transformar o Transparaná no Maior Rally Regularidade do Mundo. A competição reúne mais de 300 veículos, entre motos e carros. Serão pelo menos 114 cidades no roteiro, sendo que Guaíra, Apucarana, Umuarama, Guarapuava, Castro, Curitiba e Guaratuba são as cidades-sede onde acontecem as largadas e chegadas.

De acordo com Guga, a participação no Cerapió foi muito boa para entrar novamente no ritmo do rally e estar preparado para enfrentar o Transparaná. “Serão sete dias extremamente puxados. A competição normalmente tem médias justas e é prova muito forte”, finaliza.

Transparaná