Lappi venceu o Rali da Suécia

WRC

Esapekka Lappi venceu o Rali da Suécia e quebrou o jejum de vitórias no WRC, que durava desde 2017. O piloto da Hyundai, navegado por Janne Ferm, dominou uma prova cheia de incidentes e onde Elfyn Evans (Toyota), segundo classificado, aproveitou para ficar a apenas três pontos de Thierry Neuville (Hyundai) no topo do Mundial. Adrien Fourmaux (M-Sport Ford) conseguiu o primeiro pódio no WRC.

Foi um rali atribulado para vários dos favoritos à vitória na neve da Suécia. Regressado ao WRC, o bicampeão do mundo em título Kalle Rovanperä (Toyota) foi o primeiro líder da prova, mas viria a ficar de fora logo na etapa inicial, devido à quebra do radiador do seu Yaris GR. Também Ott Tänak (Hyundai) deixou de ser candidato à vitória com um pequeno erro na sexta-feira. Sem Rovanperä, foi outro piloto da Toyota Gazoo Racing a assumir a liderança, Takamoto Katsuta, mas este viria a ser ultrapassado por Esapekka Lappi (Hyundai) na PEC7. O japonês cometeu depois um erro fatal para as suas aspirações, no início da etapa de sábado, deixando Lappi com uma vantagem confortável sobre a concorrência que restava.

A partir daí, o piloto da Hyundai Shell Mobis pareceu estar sempre no comando das operações e venceu o seu segundo rali no WRC, sete anos depois de ter ganho na Finlândia com a Toyota. “Isto sabe mesmo bem! Já perseguia esta segunda vitória há muito tempo. Um grande obrigado à minha família e ao Cyril (Abiteboul, diretor da Hyundai Motorsport), ele trouxe-me para a equipa depois de uma má segunda metade do ano passado. É um contraste enorme para o que estou a viver agora”, afirmou o finlandês de 33 anos, navegado, como sempre, por Janne Ferm.

Evans bate Neuville

Lappi, contudo, não tem um programa completo no WRC este ano e, portanto, a discussão pelo topo do Mundial estava reservada a Elfyn Evans e a Thierry Neuville. O galês da Toyota Gazoo Racing esteve melhor na Suécia, garantindo o segundo lugar e a maior pontuação do fim de semana, ficando a apenas três pontos de Neuville no campeonato. Por outro lado, o belga teve de abrir a estrada até ter problemas de pressão de combustível no seu Hyundai, na sexta-feira, com Evans a deixar no ar a ideia de uma jogada tática, algo que o Neuville recusou.

Entre ambos ficou Adrien Fourmaux, que deu um pódio saboroso à M-Sport Ford, o primeiro do piloto francês no WRC, que nos últimos anos teve vida difícil na equipa britânica. Fourmaux chegou inclusive a rodar no segundo lugar, até ser ultrapassado por Evans, mas este resultado promove o francês ao terceiro lugar do campeonato, logo na frente de Sébastien Ogier, ausente na Suécia.

Rally2 surpreenderam

No WRC2, destaque para o brilharete de Oliver Solberg, que aproveitou as condições da estrada – e a limpeza operada pelos Rally1 – para terminar a etapa de sexta-feira no terceiro lugar da geral! O piloto oficial da Skoda acabou por descer a quinto da geral, mas venceu confortavelmente a prova do WRC2, com 1m19,7s de vantagem sobre Sami Pajari, o novo ‘protegido’ da Toyota. Georg Linamäe (Toyota) foi o terceiro, mas o estónio cometeu a proeza de ganhar uma especial à geral, na sexta-feira, quando os Rally1 apanharam mais neve na estrada. No Junior WRC, o ‘teenager’ sueco Mille Johansson, de apenas 18 anos, ganhou em ‘casa’ na competição dos Ford Fiesta Rally3.

A terceira prova do Campeonato do Mundo FIA de Ralis será o emblemático Safari Rali do Quénia, de 28 a 31 de março.